Encanto e desencanto

sol e lua

A definição do dicionário para “encantamento” tem a ver com uma sensação de deslumbramento, admiração e grande prazer diante de algo que se vê, ouve ou percebe. Esta sensação, ou sentimento, motiva ou desmotiva quase tudo na vida. Normalmente, o empenho, a dedicação e até a esperança, são questões dependentes de encantamentos ou de desencantamentos. É esse estado de graça inexplicável, provocado pelo “encanto”, que toma corações e mentes, e fortalece pessoas para lutar e se dedicar na conquista de seus objetivos. O desencanto, ao contrário, é o principal motivo de tanta gente se perder da vida, do gosto, do otimismo e, consequentemente, do sucesso. As relações também estão sujeitas a estas possibilidades. É o sorriso, é o agrado, o tom de voz, o jeito de olhar, é a palavra, a postura, a forma e a estética que elegem ou reprovam pessoas e situações. O encanto é capaz das mais surpreendentes conquistas, e o desencanto, principal motivo de derrotas inesperadas.

Talvez, a maior surpresa diante disto seja o fato das pessoas viverem desatentas para o valor destes sentimentos e da força que eles têm para o bem ou para o mal estar geral. Nem sempre há preocupação em “encantar”. Especialmente quando a urgência de fatos e decisões provoca a vida, é comum o alvoroço de palavras, atitudes, sem perceber e cuidar de questões emocionais. Boas palavras, ditas de maneira áspera, podem causar o mesmo mal estar de palavras duras e desesperadoras, do mesmo modo que más notícias podem ser amenizadas se anunciadas de maneira harmoniosa e sensível. O ser humano é regido por encantos e desencantos e perceber isto pode representar o sucesso ou a ruína de pessoas e projetos.

O sábio bíblico afirma que “a resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira ”, portanto, o resultado prático do que falamos não está no conteúdo das mensagens, mas na maneira que as emitimos. Mensagens difíceis, se carregadas de sentimento e fraternidade podem suscitar compreensão e admiração. Mensagens simples, se impregnadas de descaso e inabilidade, podem provocar irritação e discórdia. O que a boca fala pode ter significados diversos, pois o que se fala é sempre emoldurado pela capacidade de encantar ou de desencantar pessoas.

Por isso, nunca é demais o sorriso, a ternura e a bondade. Nem é inadequada a dedicação e o cuidado, a preocupação e a compaixão – que é o sentimento que nos coloca na tragédia pessoal dos outros e nos leva ao desejo de minorá-la – tampouco, é descartável a misericórdia, que é a sensibilidade de se afligir diante da dor de quem sofre. É esta relação mística de sentimentos que possibilita o envolvimento das palavras, posturas e decisões com humanidade necessária para envolver com significação os momentos delicados da vida. Este cuidado é capaz de transformar meros colegas em amigos próximos, relações de trabalho em ambientes harmoniosos, dilemas individuais em problemas comuns, fardos insuportáveis em tensões passageiras.

Se o rigor natural dos grandes dilemas da vida der lugar ao encantamento, a aceitação e o envolvimento serão frequentes nos contextos e ambientes que vivemos. Então, a vida poderá, enfim, ser levada de maneira amena, através de relações marcadas por admiração, boa vontade e comprometimento.

Rev. Nilson

Published in: on outubro 16, 2013 at 1:37 pm  Deixe um comentário