S I N C E R I D A D E

Anúncios
Published in: on fevereiro 22, 2012 at 8:43 pm  Comments (2)  

É preciso unir Pai Nosso com Pão Nosso para que se possa dizer amém

Published in: on fevereiro 10, 2012 at 10:56 am  Deixe um comentário  

Carta para qualquer vitória

Tenhas cuidado com o sucesso, ele geralmente nos faz enganar sobre o que somos, sobre o que temos e sobre o que as pessoas realmente pensam de nós… a derrota é, certamente, mais proveitosa, pois quase sempre vem acompanhada de oportunidades para refletir com sinceridade sobre nossa real condição.

Lembre-se: nem sempre as pessoas que se aproximam nos momentos de sucesso o fazem por consideração e carinho, pois, frequentemente, vislumbram mais o que significamos e como poderão se aproveitar disso. Por isso, nunca se esqueça: nem todos os presentes são sinceros e nem sempre abraços e beijos representam admiração, bem querer, consideração… alguns têm intenção de troca e até de compra.

O sucesso é um estado complexo. Com o tempo entenderás que nem sempre ele é resultado de esforço e capacidade. Alguns tipos de sucesso são fruto de ocasião. Os processos de escolha são assistidos por sentimentos de preferência e rejeição, assim, nem sempre a escolha é decorrente de preparo, em certas ocasiões ela é motivada por pura aversão. Com o tempo, entenderás que as pessoas mais iluminadas são em maior intensidade recusadas por incomodarem mais. Tenhas humildade para lembrar-te disso, será útil.

Duvide de ti mesmo. Isto mesmo, duvide! Não te consideres maior, nem melhor e, mesmo que suspeites que sabes, que és, que podes e que tens, duvide. A dúvida é melhor do que a certeza pois faz revisar, pensar, ponderar e protelar por mais tempo decisões importantes, dando maior relevância à prudência. Quanto mais duvidares, mais refletirás sobre tudo que fizeres e, por isso, se aproximarás da ponderação. Assim alcançarás mais sabedoria. Quem não pode duvidar de si mesmo, da humanidade das pessoas, das intenções e atos, não pode ter certeza de nada, pois a duvida é o caminho mais longo e mais seguro para a certeza.

Evites todos os extremos. A muita alegria e a muita tristeza, a muita paz e a muita aflição, o muito bem estar e a muita necessidade, a muita segurança e a muita instabilidade. Todos os extremos são pobres pois a maior riqueza dos sentidos está na capacidade de manter-se equilibrado. Equilibra-te! Sondes teu íntimo para descobrir teus desequilíbrios e apressa-te a compensá-los. É mais difícil viver um minuto de equilíbrio do que uma vida inteira de extremos… a maior arte da vida está em saber dosar com bom senso, sabores, sentimentos e desejos. Tudo o que é demais faz mal, até a bondade, pois a benevolência crua, sem o tempero da justiça, da verdade e do direito, é irrelevante, não adoça nem salga, não faz diferença nem muda, só apóia, só consente, sem crítica, sem análise, sem razão.

Pense sempre sobre o tema da transitoriedade. Aprofunde-se nisto e perceba quão pouco é o que tens e o que és. Observe a grandeza de tudo que te envolve, da natureza, da sociedade, dos poderes estabelecidos, das culturas, hábitos, costumes, e localiza-te nisso tudo. Entenda que és pequeno, que todos são pequenos, que tudo é pequeno e passageiro, só o todo é grande. Aproveita-te disso para julgar, opinar e decidir. Limite-se a ser somente o que és e a fazer bem o que tens a fazer, não excedas. Sejas responsável, mas desvia-te do preciosismo. Por mais que desejes, tu só serás precioso às poucas pessoas que te conhecem. Além de teus muros, pouco se saberá de ti.

Ascendas, mas não percas o que és. Aproveita-te do direito de deliberar, de avaliar e opinar para fazer crescer tua alma, tua hombridade e honra, para que, cumprido teu mandato, ao retornares do reconhecimento e do poder, ainda encontres amigos verdadeiros a te esperar no espaço comum da vida, onde tudo o que te faz feliz está.

Nilson.

Published in: on fevereiro 4, 2012 at 12:54 am  Deixe um comentário