Renovação

renovacao1Já não somos o que éramos há uma semana e, certamente, não seremos o que somos hoje daqui a alguns dias. Somos uma renovação andante. Nossos pulmões nos refazem a cada momento e isto desencadeia um processo contínuo de reciclagem que garante nossa sobrevivência.

Nossas células se renovam a cada vinte dias, o mesmo acontece com a pele e, com a idade, o período pode chegar até a trinta dias, por isso envelhecemos. Nosso cabelo também não é o mesmo… de tempos em tempos eles se refazem por completo. As unhas, o sangue, vários tecidos, são diariamente refeitos para o bom andamento de nossa vida… somos seres em constante transformação.

A natureza não é diferente. Ela também nos dá exemplos magníficos de renovação. As árvores produzem ininterruptamente novas folhas e sua respiração a faz sobreviver. As plantas nascem, crescem, florescem, produzem, algumas morrem, mas grande parte delas rebrota, sinalizando, na majestade da criação, o desejo premente da vida e da renovação.

O giro da Terra, as fases da Lua, o nascer e o pôr diário do Sol, sugerem sempre, a necessidade de encerrar e reiniciar a vida. O sono que nos desliga, a manhã que nos acorda, os dias, as horas, os meses, os anos, nos lembram incessantemente, que a vida é feita de encerramentos e de recomeços.

Tudo nos leva a crer que não somos uma continuidade, pelo contrário, somos a arte divina da reciclagem, da reinvenção, e do renascimento.

Isto nos remete a expressão bíblica de Paulo ao exortar: “transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus”. Estas palavras ampliam a dimensão do nosso tema, pois o apóstolo traz à questão a imagem da mente.

Se a natureza nos recria a cada instante, pela renovação do nosso corpo, sem que isto nos cause um aparente esforço, a espiritualidade solicita de nós uma renovação de mente, de entendimento, capaz de garantir mais do que uma vida natural, dando-nos o que o texto sagrado chama de vida plena.

Esta vida total acontece quando estamos totalmente bem. Em nossas convicções, em nosso trabalho, no que queremos, no que esperamos e, especialmente, no que nos relacionamos. Para uma vida plena, além da saúde corporal, é necessário que a mente, ou seja, o pensamento, a forma de interpretar, a criticidade, a percepção e a boa vontade, estejam em ordem.

Para a saúde total, é preciso renovar a mente! Renovar conceitos, posicionamentos, opiniões… fazer novas leituras, verificar outras formas de analisar as pessoas, ampliar horizontes. Não há lugar para o fundamentalismo cético na saúde total. O corpo, a alma, a natureza, o espírito, necessitam de novos ares para respirar e, para isso, é necessário se despojar, atender, repensar, ceder, crer e, principalmente, amar.

Ter amor pelas pessoas não significa aceitar todas as coisas que elas fazem, mas, de maneira sincera, acolhê-las como gente, gente digna, gente humana, gente por quem se pode ter amizade, com quem se pode sorrir, com quem se pode partilhar.

A maior renovação que se tem é esta que Paulo nos lembra: a renovação da mente. Esta é tão importante como a renovação espiritual e do corpo, pois nos faz olhar para onde estamos e para as pessoas com que convivemos com olhos de amor.

O apóstolo ainda nos lembra que esta é a “boa, agradável e perfeita vontade de Deus”. Que Ele nos ajude a renovar, a reciclar e, especialmente, a viver os novos ares que nos sopram a cada momento.

Rev. Nilson

Anúncios
Published in: on fevereiro 27, 2009 at 12:02 am  Comments (1)