… nasce Jesus!

jesus-bebe1

Enquanto mães choram em seus partos no misto de alegria e angústia que as faz conceber seus filhos… enquanto pais desesperados vagam pedindo empregos pelas ruas da cidade sem saber porquê sofrem sem trabalho, sem esperança e sem atenção… nasce Jesus.

Enquanto jovens brincam nas praças, nas casas, sem saber seu amanhã, sem se preocupar com o amor que lhes invade… sem perceber bem seus momentos, sua alegria, sua paz… enquanto são destemidos e, destemidos sorriem e festejam… nasce Jesus.

Enquanto existem poucos que oprimem muitos, poucos que se fartam, poucos que sonham, poucos que sobrevivem… enquanto não se sente dó, não se sente liberdade, não se sente paz… nasce Jesus.

Enquanto a cidade corre, enquanto a chuva cai, enquanto a vida passa, sorrateiramente, despercebidamente, nasce Jesus. Nasce para romper nossa vida, para romper nossos dias, nossas horas… nasce para fazer-nos parar… com nossa ansiedade, com nossa pressa, nossa ambição… mas, também, nasce para incomodar-nos… para fazer-nos ver o que não vemos, sentir o que não sentimos e agir de formas diferentes das que agimos…

Nasce Jesus… nasce Esperança… nasce mudança… nasce amizade…

Para que as mães tenham sempre a alegria do fruto de suas dores… e os pais se reencontrem com a dádiva da oportunidade, da participação, da dignidade… os jovens cantem sua paz sem temor… vestidos da felicidade singela e pura que lhes é própria… para que o tudo, seja, enfim, de todos e o nada seja, igualmente, partilhado, quando preciso for… para que nasça o amor, Jesus… o amor das palavras, o amor da compaixão, o amor da esperança… por isso, nasce Jesus!

Rev. Nilson.

Anúncios
Published in: on dezembro 24, 2008 at 11:55 am  Comments (2)  

Reflexos

espelho

Quando me vejo no espelho não me enxergo por inteira, vejo partes de mim e, em minhas partes, tantas outras partes que compuseram aquilo que sou.

Não sou eu quem reflete… sou o reflexo…

Em mim vejo olhos que me cuidaram… mãos que me acarinharam… pés que me guiaram… bocas que me ensinaram…

Percebo que de mim pouco há…

Meu Deus, será que existo? Ou existem em mim gerações passadas que explodem dentro de minhas angústias, meus desejos, paixões…

Volto ao espelho. Vejo a poesia de meu pai, os bordados de minha mãe, os desenhos de meu irmão…

O que resta de meu?

Talvez, meus, restem os reflexos que transmitirei aos meus filhos e que transmitirão aos seus filhos…

Márcia Regina.

Published in: on dezembro 3, 2008 at 11:23 pm  Comments (1)  

… pelos 21 anos de um feliz casamento…

marcia-e-nilson1

Existem pessoas que você ama e por isso não pode conviver com elas, precisa ficar longe. Existem pessoas que você ama e precisa, necessariamente, saber como estão, ouvir suas histórias, falar sempre com elas. Mas, existem pessoas que você ama e não pode ficar sem sua presença, sua conversa e sua imagem junto de você constantemente.

Rev. Nilson.

Published in: on dezembro 1, 2008 at 5:19 pm  Comments (2)